Na gelada sexta-feira de 16 de julho, o Pepsi on Stage em Porto Alegre/RS recebeu o show do Capital Inicial.
Antes da apresentação, nas picapes: DJ Capu e após, o carismático Alexandre Fetter, da Atlântida FM. À meia-noite, ao som de Nirvana, uma contagem regressiva no telão empolgou os fãs. E logo, Dinho Ouro Preto (vocal), Yves Passarell (guitarra), Fê Lemos (bateria) e Flávio Lemos (baixo) subiram ao palco com a música Ressurreição.

Que País é Esse? foi a terceira canção e aqueceu de vez a platéia, que respondia “é a p#rra do Brasil!”. Tragicômico é pensar que semanas atrás estava todo mundo andando pra cima e pra baixo de verde amarelo, né? Natasha e Não Olhe para Trás também agitaram o público, mas foi em Mulher de fases que ninguém conseguiu manter os pés no chão. Bateu até aquela nostalgia pelos velhos tempos dos Raimundos.

Em certo momento do show, decidi chegar mais perto do palco e fiquei ao lado de uma mulher de cabelos loiros que parecia ter em torno de 45 anos. Estava com a filha, que olhava pra trás vez e outra com um sorriso no rosto, como que perguntando: “tá gostando?”. Enquanto a mãe movimentava a cabeça em sinal afirmativo e dava pulinhos no ritmo da música. Capital continua agradando a todas as idades.

No início da carreira da banda, Porto Alegre foi uma das primeiras cidades onde o Capital Inicial tocou, depois de Brasília e das cidades-satélites e foi onde fortaleceu ainda mais sua identidade. E é por essa identidade que a banda teve forças pra se reerguer (literalmente) depois da queda sofrida pelo vocalista de 46 anos em um show em Patos de Minas/MG na noite de 31 de outubro de 2009.

Admiro o Capital Inicial por isso, por estar bombando com uma turnê como essa por todo Brasil, mesmo depois de todos obstáculos pelos quais teve que passar. E pra quem pretende ver o show, só digo uma coisa: fiquem até o final, pois os ultimos instantes prometem grandes emoções. Mais um para a lista dos momentos épicos em minha vida.
Forte abraço a todos vocês, fãs e banda!

Vídeo filmado por mim da canção Leve Desespero:

Andressa Warken